Biblioteca

97d2860871f3d35e35f6eb0477d3015a_M

A Biblioteca Ben Gurion apresenta uma rica variedade de obras literárias e multimídia, além de contar com revistas semanais e mensais, os principais jornais diários de São Paulo e com as edições de sexta-feira do New York Times e Jerusalem Post. Por conta do vasto material presente no espaço, a frequência média chega a 3 mil pessoas por mês.

Entre os temas procurados pelos associados, o que mais se destaca é literatura estrangeira, seguido por outros assuntos como literatura infantil, temática judaica e biografias.

A Biblioteca é frequentada por associados de todas as idades.

História

A Biblioteca da Hebraica foi criada em 1959 sob a direção do Dr. Moisés Gicovate. Contava na época com 500 títulos e seu acervo inicial era formado por livros em português, idiche, inglês e francês. As seções eram divididas em infantil, juvenil, circulante. A Biblioteca em pouco tempo tornou-se um sucesso e seu acervo acrescido de grandes e preciosas doações, como a doação da Coleção da Gazeta Israelita de São Paulo, que inaugurou a secção Judaica Brasileira.

Em 2003, a Biblioteca inaugurou um novo espaço inovando com mais serviços. Passou a oferecer um acervo digital (Internet, Vídeo, DVD, CD de música, CD-ROM) além do acervo impresso (livros, jornais, revistas e gibis).

Em 2006 passa a se chamar Ben Gurion, homenageando o grande estadista e um dos fundadores do estado de Israel.

Destaque  mês de NOVEMBRO/2014

Os judeus do Papa : o plano secreto do  Vaticano para salvar os judeus das mãos dos nazistas / Gordon Thomas

A peça “O Vigário”, de Rolf Hochhuth, serviu de  inspiração para a conhecida obra de John Cornwell, “O Papa de Hitler”, na qual o  Papa Pio XII é  acusado de manter um “ vergonhoso silêncio” em torno da perseguição  e morte dos judeus durante a II Guerra Mundial.   Tanto  Hochhuth como Cornwell  revelaram basear-se em historiografia fraudulenta, mas  agora surgem outras  fontes e obras  como  “The Defamation of Pius XII”,  de Ralph McInerny  e  a recente tradução  para o português, da obra de Gordon Thomas “Os judeus do Papa” .  Ainda que muito se questione quanto a uma possível atuação mais aberta,  menos  “discreta” do referido Papa, em favor dos judeus e contra a política nazista, os depoimentos e provas apresentados por Gordon Thomas  trazem  novos elementos  interpretativos  para ampliar a compreensão da história,  do resgate  e sobrevivência de judeus  na II Guerra Mundial .

Estatísticas 2013

Títulos mais emprestados em 2013

Cinquenta tons de cinza – E.L. James – 33 empr.
Inferno – Dan Brown – 26 empr.
Arroz de Palma – Francisco Azevedo – 25 empr.
Desonra – DVD – 22 empr.

Associados que mais emprestaram livros em 2013

Raquel Zuckermann
Leonor Klein
Rita Resnichenco
Diana B. Scemes

Destacamos o nome de alguns associados cujas doações foram 100% aproveitadas:Bernardo Lerer (Revista “A Hebraica”); Blima Rajzla Lorber; Diva Blucher; Fernando Calderon; Kate Kaufman; Simone Holzhacker.