Palavra do presidente

Uma diretoria nova

Como bem diz o título da primeira página desta edição, a partir deste mês a Hebraica está “Sob Nova Direção”. E é assim mesmo, com todos os significados que estas três palavras de dezesseis letras possam exprimir que se deve ler e compreender a eleição desta diretoria, cuja presidência me orgulho de ocupar e que, a partir deste mês, passa a gerir e a administrar o presente da Hebraica ao mesmo tempo em que se ocupa de pensar o seu futuro.
Fomos escolhidos numa eleição acirrada, mas democrática, por uma diferença de dez votos contra o valoroso companheiro Avi Meizler, e um comparecimento de conselheiros inédito nos últimos trinta anos, o que, por si, já revela o interesse que este momento da vida da Hebraica despertou entre estes delegados escolhidos pelos associados para representá-los e, em seu nome, atuar para o bem comum. Este envolvimento, o desejo de participação e o anseio pela renovação aumentam a nossa responsabilidade na condução das coisas e das causas da nossa Hebraica, e é isso que anima e impulsiona esta diretoria formada por homens e mulheres jovens que se destacaram pelo trabalho sério e abnegado nas comissões do Conselho Deliberativo. Nossa esperança é de que também os associados se integrem a esta proposta de trabalho de renovação cujo alcance vai além de uma geração. Na sala onde realizaremos nossas reuniões há uma grande mesa oval e muitas cadeiras. Uma das paredes ostenta as fotos dos presidentes que nos antecederam. Eles parecem olhar para a mesa e seus ocupantes como se estivessem nos provocando e sugerindo que aprendam com a vida deles e assimilem as experiências que podem transmitir a respeito da vida comunitária, da preservação das nossas mais caras tradições, do conhecimento da nossa história e do amor ao Estado de Israel. E é assim que faremos, pois é isso que queremos.

Shalom,
Avi Gelberg